Homenews - homenews.com.br
Tecnologia
Quarta - 31 de Julho de 2002 às 13:25

    Imprimir


Imagine ir em uma loja de conveniência e encontrar bem ao lado do aparelho de barbear, dos pacotes de biscoitos e engradados de cerveja entre outros, um celular prontinho para ser usado. Imaginou? Pois é,
nos Estados Unidos isso já é realidade.

A responsável pela novidade foi uma pequena empresa na Califórnia, a Hop-On. Segundo a companhia,no final da semana passada, as autoridades americanas teriam concedido licença para a venda dos primeiros aparelhos.

A autorização abre caminho para uma disseminação do telefone celular descatável pré-pago em
todos os Estados Unidos.

Segundo o presidente executivo da companhia, Peter Michaels, a aprovação dos telefones irá permitir à Hop-On em breve colocar no mercado seu aparelho com 60 minutos de conversação, ao preço de 40 dólares, por meio de uma "importante operadora de telefonia celular CDMA".

"Iremos lançar praticamente imediatemente",começando pelo sul da Califórnia e então o resto dos Estados Unidos nos próximos três meses, afirmou Michaels.

"Não quero parecer maluco, mas quanto mais telefones pudermos fabricar, mais poderemos vender",acrescentou o executivo. Ele afirmou que a meta da companhia é vender milhões de celulares até o Natal deste ano.

Os telefones permitem que os usuários falem e ouçam os interlocutores através de fones de ouvido
e microfone.

De acordo com representantes da companhia, os consumidores poderão contar ainda com cartões telefônicosOs com créditos de 60, 90 e 120 minutos.

Os telefones da Hop-On são de plástico e do tamanho de uma carta de baralho. São fabricados com componentes
da Philips Electronics baseados em tecnologia da norte-americana Qualcomm.

Michaels afirmou que sua empresa pretende vender os produtos em lojas de varejo, lojas de conveniência e postos de gasolina.

A empresa ainda aguarda o aval da agência reguladora das comunicações dos Estados Unidos (FCC)dentro de 45 a 60 dias para um segundo modelo, que seria mais barato, cerca de 29 dólares e baseado no padrão internacional GSM.

Os telefones da Hop-On são desenvolvidos para serem o mais barato possível. A concessão de linhas é feita localmente e as chamadas dentro da mesma área onde o produto foi comprado são locais.

As chamadas entre áreas de códigos diferentes exigem pagamento de taxas adicionais.

Inspirada no negócio de câmeras descartáveis ( que também passou pelo Brasil. Quem não se lembra
da Love?), a empresa espera reciclar os aparelhos e oferecer um crédito de cinco dólares para quem se
mostrar interessado em partilhar da idéia. Com isso, a Hop-On espeera vender aparelhos usados para novos
consumidores, economizando custos de fabricação.

No momento a companhia emprega apenas 15 pessoas e espera contar com a terceirização da produção dos
telefones por companhias na China, Taiwan e México.





URL Fonte: http://homenews.com.br/noticia/13/visualizar/