Homenews - homenews.com.br
Informática
Sexta - 20 de Fevereiro de 2004 às 10:52

    Imprimir


_______________________________________________________________




Um tribunal internacional foi obrigado a julgar uma disputa envolvendo uma queixa da Rede Globo de que seu nome estaria sendo utilizado de forma ilegal na Internet por um site com conteúdo pornográfico. Nesta quinta-feira, o centro de arbitragem da Organização Mundial de Propriedade Intelectual (OMPI), em Genebra, decretou que o registro do endereço wwwglobo.com (sem ponto), feito em 2001 pela Web Soft, de Salvador, deveria ser devolvido à rede de televisão.

A queixa foi levada à OMPI em dezembro do ano passado. A Globo argumentava que sua logomarca é registrada no Canadá, América Latina, Estados Unidos e na União Européia e que a identificação de um website com nome "globo" confundia os clientes que de fato estariam tentando se conectar à rede de televisão. A Web Soft respondeu, por meio de seus advogados, que nunca pediu compensação pela utilização do nome e que não existe evidências de que teria registrado o endereço no website de má fé.

A OMPI nomeou Peter Siemsen como árbitro que avaliou a questão por um mês antes de decretar seu veredito. Segundo as regras internacionais, para que um endereço tenha que ser devolvido às supostas vítimas, pelo menos dois critérios devem ser preenchidos: que o registro tenha sido feito de má fé e que seja similar à logomarca da empresa que esteja se queixando.

Segundo a decisão do árbitro, o registro teria sido feito de forma a se aproveitar de um erro de tipografia comum na digitação de um endereço eletrônico. Neste caso, o registro do website não incluia o ponto entre as letras "www" e "globo", o que permitia que um site pornográfico fosse mostrado ao lugar do site da TV Globo. Para o árbitro, o fato ainda seria prejudicial à imagem pública e à reputação da Globo. Por esses motivos, a OMPI ordenou ontem que o registro seja transferido à empresa de comunicação.






AE - HN




URL Fonte: http://homenews.com.br/noticia/2017/visualizar/