Homenews - homenews.com.br
Ciência
Quinta - 02 de Junho de 2005 às 10:57

    Imprimir


________________________________________________________________


Cientistas da Universidade do Texas concluíram que a exposição a fatores ambientais nos primeiros dias de vida podem ser determinantes no desenvolvimento de câncer para pessoas com predisposição genética para a doença.

Genes como o BRCA1 e BRCA2, para o câncer de mama, aumentam significativamente o risco de desenvolver a doença, mas nem todos aqueles que têm o gene desenvolvem, efetivamente, o tumor.

Segundo o estudo feito em ratos, a exposição ao hormônio estrogênio logo após o nascimento pode determinar o futuro desenvolvimento do câncer.

A pesquisa foi realizada de acordo com os procedimentos da Academia Nacional de Ciências britânica.

"Hipersensibilidade"

O estudo sugere que a exposição ao estrogênio pode reprogramar o tecido e abrir caminho para o eventual desenvolvimento da doença.

Os cientistas estudaram ratas fêmeas com predisposição genética para desenvolver leiomioma uterino - o mesmo tipo de tumor benigno que muitas mulheres têm.

Cerca de 65% das ratas com estes genes desenvolveram os tumores.

Um grupo dos animais foi exposto ao DES (dietilstilbestrol) - um remédio contra aborto que já foi proibido – de três a cinco dias depois de nascerem, um período crucial para o desenvolvimento da região reprodutora.

O DES é feito a base de estrogênio e atua no corpo como o hormônio.

Um outro grupo de ratos, que já desenvolveu o câncer sem ter sido exposto ao DES, também foi estudado.

Os cientistas concluíram que praticamente todas as ratas expostas ao DES quando recém-nascidas desenvolveram o leiomioma na idade adulta (16 meses).

Os tumores eram maiores e em maior número do que nas ratas que desenvolveram o tumor naturalmente, sem terem sido expostas ao DES.

Em contraste, nenhum dos ratos que foram expostos ao hormônio, mas não têm a predisposição genética, desenvolveram o tumor até completar 16 meses.

Hora crítica

Os cientistas acreditam que o DNA das ratas expostas ao DES foi modificado e mudou o modo como os genes responderam ao estrogênio, tornando-os hipersensíveis aos efeitos do hormônio.

Segundo os cientistas, o resultado é a primeira evidência de que a exposição ao estrogênio nos primeiros dias de vida pode "reprogramar" os tecidos de modo a determinar se tumores vão se desenvolver - ou não - no futuro.

A equipe, liderada pelo professor Cheryl Walker, disse que as conclusões devem ser relevantes para aqueles que herdaram genes defeituosos de bloqueio ao desenvolvimento de tumores, que os torna suscetíveis a diferentes tipos de câncer.

Para os cientistas, a pesquisa pode explicar, por exemplo, porque algumas mulheres com os genes do câncer de mama (BRCA1/2) desenvolvem a doença na idade adulta enquanto outras, que têm o mesmo gene, não.

"Este estudo sugere que, para a interatividade entre os genes e os fatores ambientais, o momento de exposição pode ser crítico e pode ser muito mais cedo do que imaginávamos", diz o professor Walker.

Mas a equipe afirma que ainda é preciso aprofundar o estudo sobre o assunto para provar a teoria de que o risco de câncer é afetado do mesmo jeito nos humanos.



BBC, em Londres




URL Fonte: http://homenews.com.br/noticia/3046/visualizar/