Homenews - homenews.com.br
Informática
Quarta - 15 de Fevereiro de 2006 às 10:16

    Imprimir


________________________________________________________________


Uma operação da Polícia Federal realizada em sete Estados prendeu 55 acusados de participarem de um grupo que desviou mais de R$ 10 milhões de usuários de serviços de banco pela Internet. Segundo a PF, dos 55 presos, nove são menores de idade. O grupo agia principalmente em Campina Grande, na Paraíba, onde líder do bando, um rapaz de 19 anos, foi preso.

A operação contou com 330 policiais e foi promovida, além da Paraíba, no Rio Grande do Norte, Ceará, Pernambuco, Bahia, São Paulo e Paraná.

As investigações começaram em maio de 2005, depois de denúncias da Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil. As autoridades descobriram que os membros da quadrilha enviavam milhares de e-mails com programas do tipo cavalo de Tróia anexados. Esse tipo de software instala-se na máquina da vítima disfarçado de uma aplicação benigna.

Depois de contaminar o computador da vítima, o programa copiava números de contas e senhas de acesso a serviços de banco pela Web e enviava os dados para os integrantes do bando, informou a PF. Com as informações, o grupo realizava transferências de dinheiro para contas "laranjas" e também eram efetuados pagamentos de boletos bancários de terceiros, numa prática que vem sendo combatida pela PF com mais intensidade desde 2005.

Em dezembro, a PF lançou uma operação em cinco Estados para desmontar uma quadrilha que causava prejuízo mensal de R$ 1 milhão por mês ao sistema financeiro. Em agosto, 85 pessoas foram presas em conexão a um esquema similar ao de Paraíba, mas que causou prejuízos de pelo menos R$ 80 milhões.

Uma pesquisa divulgada em outubro de 2005 pela companhia japonesa de segurança de computadores revelou que o Brasil é o país que mais cria softwares cavalo de Tróia projetados para enganar usuários de serviços de banco pela Web. Os hackers aproveitam-se do grande uso desse tipo de serviço no país.

Os detidos durante a operação Scan deverão responder pelos crimes de formação de quadrilha, furto qualificado, violação de sigilo e interceptação telemática ilegal, informou a PF.








Reuters




URL Fonte: http://homenews.com.br/noticia/3419/visualizar/