Homenews - homenews.com.br
Arqueologia
Quinta - 21 de Setembro de 2006 às 11:45

    Imprimir


______________________________________________________________


Um pequeno canal de águas absolutamente mansas que descarregava seu fluxo em um lago na região de Dikika, na Etiópia. Não fosse a ausência de turbulência, naquele pequeno rio jamais teria sido encontrado o precioso esqueleto que é o assunto de capa da edição desta quinta-feira (21/9) da revista Nature (www.nature.com).

O local, próximo de onde foi descoberta Lucy, um dos fósseis de hominídeos mais antigos encontrados até hoje – que pertence à espécie Australopithecus afarensis –, acaba de revelar outro esqueleto de grande importância para a paleontologia. O trabalho foi feito por Zeresenay Alemseged, do Instituto Max Planck, na Alemanha, e colaboradores.

Dessa vez, bastante bem preservado pelos sedimentos do pequeno rio, os pesquisadores identificaram o fóssil de uma criança que, quando morreu, não tinha mais que 3 anos de idade. Da mesma espécie de Lucy, a criança teria vivido 150 mil anos antes dessa, há 3,3 milhões de anos.

O esqueleto, que por se tratar de ossos de criança, provavelmente do sexo feminino, tem uma importância muito grande – nunca, antes, um material desse tipo e dessa idade havia sido descrito – traz outras boas surpresas. Uma delas é o formato dos ossos dos braços, bastante semelhantes aos do gorilas.

Isso significa que os membros da espécie A. afarensis, além de poder caminhar sobre os dois pés, como mostraram várias das características agora encontradas no jovem esqueleto, também tinham habilidade para pular de galho em galho no alto das árvores. Ou seja, a espécie se encaixa de forma quase perfeita na fase da taxonomia dos hominídeos, considerada como a de transição entre macacos e humanos.

Com mais essa contribuição para a ciência, a região na Etiópia se confirma como uma grande mina de ouro para quem investiga a evolução humana. Em outro artigo na mesma revista, Jonathan Wynn, da Universidade de St. Andrews, na Escócia, descreve todas as características geológicas dessa importante área, que tem contribuído bastante para a história da evolução humana.





Agência Fapesp




URL Fonte: http://homenews.com.br/noticia/3845/visualizar/