Homenews - homenews.com.br
Astronomia
Sexta - 19 de Setembro de 2003 às 07:32

    Imprimir



HomeNews




A Nasa (agência espacial norte-americana) pode substituir sua frota de ônibus espaciais por uma nova geração de cápsulas, semelhantes às que levara o primeiro homem à Lua. A informação foi divulgada pelo diretor do sistema de transportes da agência, John Rogacki.

"Certamente temos muita experiência com o vôo em cápsulas. Pode-se dizer a favor delas que a experiência em fabricá-las pode levar à criação de novos modelos mais rápido do que a de veículos com asas", disse Rogacki.

As cápsulas têm um funcionamento diferente dos ônibus no que se refere à aterrisam. Ao invés de pousarem como aviões as cápsulas aterrisam no oceano e são resgatadas por navios.

Adeptos

As cápsulas espaciais que foram lançadas pela última vez há três décadas, mas, de acordo representantes da Nasa, sua reutilização está conquistando adeptos entre os astronautas desde o acidente com o Columbia, que matou sete tripulantes em fevereiro deste ano.

Todos os 13 membros da comissão de investigação do acidente pediram à Nasa que substitua os ônibus assim que possível utilizando as tecnologias e materiais disponíveis.

O próximo vôo de um ônibus espacial, que estava programado para março do ano que vem, já foi cancelado pela agência, que prevê que o Atlantis só deva decolar depois de julho de 2004.

A cápsula passou a ser considerada uma opção depois que o astronauta John Young, que voou tanto em ônibus espaciais quanto em cápsulas, divulgou um estudo sobre a versatilidade delas, que podem se mover abaixo da órbita da Lua ou acima dela.

Rogacki disse que o avião espacial orbital não precisa ser capaz de percorrer longas distâncias no espaço, mas que a Nasa deseja que isso ocorra para apoiar missões que ocorram além da Estação Espacial Internacional.

"Há um grande potencial de uso do sistema de avião espacial orbital como base para futuros veículos de exploração", disse Rogacki. A cobertura térmica e os painéis das asas usadas nos ônibus atuais não suportariam o calor e a tensão de reentradas translunares.


Com agências internacionais




URL Fonte: https://homenews.com.br/noticia/1441/visualizar/