Homenews - homenews.com.br
Tecnologia
Segunda - 27 de Outubro de 2003 às 08:20

    Imprimir



Veja mais fotos de Kaya em: http://www.homenews.com.br/mod.php?mod=gallery&op=gallery&gallery_id=5&album_id=14

Para ver as fotos ampliadas, basta clicar na imagem.

_________________________________________________



A exposição "Perfeitamente Real: Mulheres em Bits e Bytes", que foi inaugurada na última semana em Londres, mostra que as mulheres desenhadas por computador estão cada vez mais próximas das formas das mulheres de verdade.

Elas são criadas com o uso de supercomputadores e usadas em jogos de computador, filmes e campanhas publicitárias.

E entre as beldades expostas está uma brasileira: Kaya, criada por Alceu Baptistão, sócio da empresa de animação e efeitos digitais brasileira Vetor Zero (http://www.vetorzero.com.br/).

O evento também conta com celebridades virtuais, como Rene Morel, responsável pela criação de vários personagens do filme de animação computadorizada Final Fantasy.

Ele desenhou uma modelo cuja beleza é praticametne uma unanimidade. Ela tem um rosto muito real, mas o corpo parece ter sido feito na forma de uma boneca Barbie.

Parto virtual

"Meu sócio teve a idéia, há um tempo, de criar uma cantora virtual. Mas o projeto ficou parado por muito tempo. Até que um dia eu peguei para fazer, fui me empolgando e aí surgiu a Kaya, que ficou só na cabeça", explica Baptistão.

O animador diz que a modelo é resultado de cerca de um ano e meio de trabalho, mas que ele só se dedicava a ela nas horas vagas e esporadicamente.

"Poderia ter sido muito mais rápido se eu tivesse copiado um rosto que já existe ou se eu fosse menos exigente com as feições que eu queria", afirma o criador, acrescentando que a obra não é utilizada e se trata apenas de um projeto de estudo.

"Pode até ser que eu retome, ou comece uma outra do gênero, mas não tenho planos no momento.

A curadora da exposição, Niki Homez, diz que Kaya é diferente das demais modelos da exposição.

"Não é uma beleza típica ou perfeita. Ela tem sardas, tem um jeito meio que de menino, um nariz brilhante e coisas assim", afirma Niki Homez.

Segundo Baptistão, esse foi o objetivo. Ele afirma que as demais modelos são muito perfeitas e, por isso acabam se afastando da realidade.

De qualquer forma, a verosimilhança de Kaya ainda não rendeu frutos comerciais.

"Não apareceu ninguém interessado em comprar ou investir para acabar, ou para usar a Kaya como modelo. Acho que essa questão da modelo virtual não é tão empolgante como as pessoas pensam, a maior parte das tentativas não foram comercialmente bem sucedidas", afirma Baptistão.


A curadora da exposição também acredita que as modelos virtuais não devem tomar de vez o lugar das mulheres de carne e osso.

"Acho que isso ainda está muito longe. Em termos de televisão e cartazes, é possível, mas não acho que isso seja completamente ruim. Às vezes, as celebridades também são fabricadas", elabora Homez. "E nós temos cirurgia plástica e tudo mais. Então, essa questão de realidade está ficando um pouco complicada".




Com BBC




URL Fonte: https://homenews.com.br/noticia/1594/visualizar/