Homenews - homenews.com.br
Informática
Sexta - 27 de Setembro de 2002 às 10:09

    Imprimir



SEATTLE (Reuters) - Com uma firme posição no mercado de servidores e conquistando devotos fiéis entre os programadores, o sistema operacional de fonte aberta Linux agora tem um novo alvo: as caixas registradoras.

O sistema não está de olho no dinheiro das caixas, mas nas máquinas em si, que hoje em dia são computadores cada vez mais complexos que não só registram transações, mas oferecem informações de estoque, publicidade e serviços ao consumidor.

O Linux pode ser usado, modificado e copiado livremente, diferentemente do Windows, da Microsoft, e vem ganhando aceitação crescente entre as empresas que esperam cortar custos em um ambiente econômico cada vez mais difícil.

Steve Solazzo, gerente geral de Linux na IBM, diz que o setor de varejo está interessado no Linux devido a sua estabilidade e segurança, e não por ser gratuito.

"O Linux realmente está mudando a cara do varejo", disse Solazzo à Reuters. "É o primeiro ou segundo assunto que os varejistas mencionam quando falam conosco".

De acordo com diversas estimativas, a IBM colocou suas caixas registradoras --tanto o software exclusivo que as aciona quanto o hardware-- em metade dos pontos de venda hoje instalados nos Estados Unidos.

Agora, instalando o Linux em seus produtos, como fez em seus servidores, a IBM espera manter os concorrentes distantes e aumentar o domínio sobre o mercado de infra-estrutura do varejo.

As máquinas eletrônicas do varejo, em geral substituídas em ciclos de cinco a 10 anos, geralmente operam com versões do Windows, ou mesmo do MS-DOS. Dado o alto risco de perda de clientes causado por um sistema defeituoso, o principal requisito imposto pelos clientes é a estabilidade e confiabilidade da plataforma que forem comprar.

"O Linux certamente é séria ameaça ao Windows nos pontos de venda", disse Paula Rosenblum, analista da AMR Research.

A Microsoft, no entanto, alega que seus produtos Windows para aplicações de varejo oferecem diversas vantagens aos comerciantes, em relação ao Linux, tais como a capacidade de se integrar a outros softwares das Microsoft, desenvolvimento mais rápido e com menor exigência de suporte técnico.





URL Fonte: https://homenews.com.br/noticia/190/visualizar/