Homenews - homenews.com.br
Tecnologia
Sexta - 27 de Setembro de 2002 às 10:38

    Imprimir


Por John Gartner, Wirednews


A GM desenvolveu um carro futurista onde é possível, entre outras coisas, 'passar' os controles de direção para o carona.

A capacidade de mover o mecanismo de direção é apenas uma das inovações do Hy-wire, um carro-conceito apresentado nesta quinta-feira no Salão Mundial do Automóvel de Paris.

A mais notável ruptura com o design automobilístico tradicional é a vista desobstruída que se tem a partir do assento do motorista. Devido à ausência do painel ou console. O pára-brisas se estende até o chão, permitindo uma visão muito mais ampla da estrada à frente.

Isto é possível porque o motor está localizado na parte inferior do carro. A célula de combustível do Hy-wire fica abrigada entre três tanques de hidrogênio sob pressão no centro do chassi que se assemelha a um skate. A instalação do motor e dos tanques de combustível no centro do veículo permite que ele tenha um centro de gravidade mais baixo, conferindo-lhe uma maneabilidade semelhante à de um Porsche 911, disse Shabana. O Hy-wire pesa pouco mais do que um sedan padrão.

As células de combustível criam energia elétrica através de uma reação eletroquímica entre o oxigênio e o hidrogênio, e não emitem os poluentes emitidos pelos motores de combustão.

Embora muitos pesquisadores da área de energia acreditem que o hidrogênio eventualmente irá se tornar o combustível dominante para os transportes, Shabana disse que o veículo pode começar usando outro tipo de combustível. Apesar da incerteza em torno da célula de combustível, o sistema eletrônico de direção e freio já está começando a chamar a atenção no saguão da feira.

O "wire" (fio) no nome do projeto vem da chamada tecnologia drive-by-wire, que usa fiações eletrônicas em vez de cabos e conexões mecânicas nos controles de direção, aceleração e freio. Em vez de um volante comum, o Hy-wire possui o "X-drive", um controle semelhante a um manche que controla todas as funções de propulsão. O motorista não usa os pés para acelerar, mas sim torce as alças do controle. Para acionar os freios, basta apertar os aturadores presentes nas alças.

As curvas podem ser mais difíceis de aprender: em vez de girar os controles para um lado ou para o outro, o motorista deve empurrar as alças para cima ou para baixo.

Os controles podem ser programados. Por exemplo, o motorista poderá configurar os freios para responderem a um toque mais suave, atendendo às suas preferências pessoais.

"O aspecto mais importante do drive-by-wire é que ele permite que o carro seja muito mais eficiente e preciso", disse Brauer, que testou vários automóveis equipados com sistemas desse tipo, incluindo o Mini Cooper e o Mercedes SL.

De acordo com Brauer, o drive-by-wire pode controlar com maior precisão do que os controles mecânicos a aceleração do veículo, o que pode reduzir significativamente o consumo de combustível e as emissões de gases poluentes. Ele acredita que esta tecnologia será padrão nos automóveis dentro de poucos anos.

O Hy-wire também tem câmeras no lugar dos retrovisores, e integra o rádio e um monitor na unidade de controle X-drive.

A GM disse que o chassi de alumínio do veículo pode também ser usado com carrocerias diferentes. "O chassi reaproveitável pode definir uma nova era no transporte pessoal", disse David Cole, presidente do Centro de Pesquisa Automotiva, uma organização sem fins lucrativos. Usar o mesmo chassi ao longo de toda uma linha de produtos dá à GM a possibilidade de economizar em grande escala. "Isso tem tudo para mudar as regras do jogo", disse Cole.





URL Fonte: https://homenews.com.br/noticia/192/visualizar/