Homenews - homenews.com.br
Ciência
Quinta - 12 de Fevereiro de 2004 às 09:30

    Imprimir


___________________________________________________________________________





HomeNews


Cientistas das universidades escocesas de Edimburgo e Saint Andrews, parecem ter acabado com os misteriosos desígnios do amor e desvendado as razões pelas quais as pessoas mantêm ou não uma relação. Segundo os pesquisadores, a capacidade do ser humano para manter uma relação depende de um hormônio denominado oxitocina.

De acordo com a pesquisa divulgada nesta quarta-feira, o hormônio oxitocina é responsável pelos vínculos afetivos. Ele é o causador, por exemplo, dos laços que se criam entre uma mãe e seu bebê recém-nascido e influi da mesma forma na união entre dois amantes.

Os especialistas acreditam que pessoas que possuem maior concentração de oxitocina no organismo são capazes de conservar uma relação durante um longo período de tempo, enquanto que indivíduos que a tenham em menor quantidade, terão dificuldade em manter uma relação longa.

A oxitocina modifica milhões de "circuitos" no cérebro, por isso ela muda a percepção e os interesses da pessoa, acreditam os cientistas.

Os pesquisadores também fizeram uma outra descoberta: o cheiro que desprendemos é tão importante como o atrativo físico na hora de escolher um parceiro estável.

"Como as relações duradouras requerem um maior grau de compromisso, nos asseguramos que toda a informação disponível se adeque ao que buscamos", comentou Elisabeth Cornwell, do departamento de Psicologia da Universidade de Saint Andrews. "Aparentemente -acrescentou-, quando se procura uma relação estável é mais importante a concordância entre o cheiro e o físico que quando se quer uma relação esporádica". Os feromônios e o aspecto físico são importantes tanto para homens como mulheres.





URL Fonte: https://homenews.com.br/noticia/1966/visualizar/