Homenews - homenews.com.br
Ciência
Sexta - 09 de Julho de 2004 às 09:41

    Imprimir


________________________________________________________________



Uma nova técnica pode permitir cirurgias em órgãos internos sem que seja feito um único corte na pele, de acordo com pesquisadores norte-americanos.

A equipe da Universidade de John Hopkins disse que, pelo novo método, uma minicâmera seria introduzida pela garganta e faria um corte na parede estomacal para alcançar os órgãos abdominais.

Testada em porcos, a técnica mostrou que ela pode encurtar os períodos de convalescença, dizem os autores do trabalho.

Tradicionalmente, quando os cirurgiões desejam operar os órgãos do abdome eles fazem algum tipo de incisão na pele e da parede estomacal.

Acesso fácil

Foram desenvolvidos métodos menos invasivos como a laparoscopia, ou a abertura de um único e pequeno “buraco” na pele, que prevê também o uso uma monicâmera.

Com a nova técnica, porém, os médicos não fariam nenhum corte na pele do paciente, apenas em órgãos internos.

A equipe liderada por Anthony Kalloo acredita ser possível ter acesso a órgãos como o fígado, pâncreas e vesícula biliar, pelo estômago.

Recuperação

Os pesquisadores americanos acreditam que o novo método, chamado de peritoneoscopia transgástrica, pemitiria aos pacientes se recuperar mais rapidamente após as operações.

“A técnica é menos invasiva do que a laparoscopia porque não temos que cortar através da pele e o músculo do abdome”, disse Kalloo.

“Como o tecido do estômago é reparado mais rapidamente do que a pele, o período de recuperação deve ser reduzido.”

Cirurgiões britânicos, no entanto, dizem que o método pode trazer mais riscos do que as técnicas atuais, que prevêem fazer uma incisão no paciente.

Problemas

David Rosin, vice-presidente do Colégio Real de Cirurgiões da Inglaterra, disse que a técnica é “fascinante e inovadora, mas cheia de perigos”.

“Você poderia causar peritonitis (inflamação da parede estomacal, que pode ser fatal) se o ácido no estômago escapar.”

“A luz usada em uma endoscopia é muito quente e pode ser perigoso transportá-la pelo estômago.”

“A laparoscopia faz a mesma coisa, a vizualização dos órgãos internos, mas tem se provado bastante segura.”

Rory McCloy, cirurgião da enfermaria Real de Manchester, também se mostra preocupado.

“O problema é que o interior do estômago é potencialmente sujo. Você está perfurando uma área suja em direção a uma cavidade abdominal limpa, o que pode causar peritinitis.”

“Você teria que selar o buraco que abrir no estômago assim que sair e se certificar que a abertura não vaze. Não vejo vantagens, apenas problemas”, diz ele.





BBC




URL Fonte: https://homenews.com.br/noticia/2317/visualizar/