Homenews - homenews.com.br
Ciência
Quarta - 21 de Julho de 2004 às 11:27

    Imprimir


______________________________________________________________




O pesquisador brasileiro da Unicamp Paulo Mazzafera rejeitou as acusações do governo da Etiópia veiculadas na última semana pela agência de notícias Reuters de que o cientista teria levado sementes de café descafeinado do país sem autorização oficial.

Mazzafera e sua equipe publicaram na revista científica Nature de junho a descoberta de uma espécie de café que poderia ser usada na produção de um café naturalmente descafeinado.

Segundo a Reuters, o governo etíope estaria estudando medidas a serem tomadas contra o Brasil porque as sementes teriam deixado a Etiópia sem permissão.

Mazzafera, no entanto, diz que os pés de café do estudo são originários de sementes coletadas por uma expedição da Agência de Alimentação e Agricultura da ONU (FAO, na sigla em inglês) à Etiópia na década de 60.

"Não se pode falar de biopirataria. Por biopirataria você imagina alguma coisa escusa, não-oficial. E foi tudo oficial", afirmou Mazzafera à BBC.

Nature

O pesquisador enviou à BBC cópias do relatório da expedição da FAO que, em 1964, teria coletado as sementes que deram origem às plantas usadas no estudo.

O documento mostra que a expedição foi amplamente apoiada pelo governo da Etiópia na época.

Segundo reportagem publicada pela Reuters, o primeiro-ministro etíope, Atos Meles Zenawi, afirmou que está analisando o caso detalhadamente.

"Achamos que pode ser encontrada uma solução que beneficie ambas as partes, Etiópia e Brasil", disse Zenawi à Reuters.

'Sem impasse'

Representantes do governo da Etiópia afirmaram que não poderiam dar uma posição oficial sobre o assunto nesta ou mesmo na próxima semana.

Mazzafera, no entanto, não enxerga qual possa ser o problema.

"Não existe impasse. O que existe é a abertura para conversar. Não existe razão nenhuma para eles nos acusarem e ficarem chateados com isso", afirmou o pesquisador, que já manifestou a sua disposição de colaborar com os cientistas da Organização de Pesquisa em Agricultura da Etiópia.

Mazzafera disse ainda que pesquisadores da Costa Rica descobriram e publicaram pesquisas sobre fontes de resistência a uma importante praga de café encontradas em sementes etíopes do mesmo lote que chegou ao Brasil.

"Não existiu nenhuma polêmica sobre isso. O que chama atenção nesse caso (do café descafeinado) é o fato de ser um produto que os Estados Unidos e a Europa consomem. Isso representa um mercado muito grande e imediato."






BBC




URL Fonte: https://homenews.com.br/noticia/2355/visualizar/