Homenews - homenews.com.br
Ciência
Terça - 05 de Outubro de 2004 às 14:04

    Imprimir





______________________________________________________________



Os cientistas americanos David J. Goss, H. David Politzer e Frank Wilczek foram escolhidos para receber o Prêmio Nobel de Física por seu trabalho sobre a estrutura da matéria - os materiais que constroem os átomos e as forças que os mantêm unidos.

Os três vencedores foram elogiados por seus esforços para explicar como funciona o processo de ligação dos menores "tijolos" da natureza, os quarks.

A justificativa para a escolha diz que o trabalho dos cientistas tornou mais próximo o sonho de formular "uma teoria para tudo". Cada um dos físicos vai receber uma medalha e uma parcela do prêmio de US$ 1,3 milhão.

O prêmio foi instituído por Alfred Nobel, um rico industrial sueco que inventou a dinamite, e será entregue em cerimônia em Estocolmo no dia 10 de dezembro.

Cor

O Prêmio Nobel de Física deste ano segue uma tradição que remonta a primeira premiação, em 1901, celebrando as descobertas dos elementos mais fundamentais que constituem o Universo.

Há três décadas, Gross, Politzer e Wilczek formularam uma teoria para descrever a força que mantém juntos os quarks - as partículas elementares com que a natureza constrói nêutrons e prótons, que formam os núcleos dos átomos.

Eles descreveram sua força em termos de "cor", dizendo que os quarks podem ser vermelhos, verdes ou azuis, assim como cargas elétricas podem ser positivas ou negativas; e assim como os pólos elétricos opostos se atraem, combinações de cores de quarks podem tornar estáveis conjuntos de quarks.

Sua teoria conseguiu explicar porque os quarks tendem a se agrupar em três. Ela também explica porque, paradoxalmente, a "carga de cor" enfraquece na medida em que os quarks se unem e se fortalece quando se separam.

É uma propriedade que já foi comparada a um elástico. Quanto mais esticado, mais vigorosa é a força. As descobertas dos pesquisadores, divulgadas em 1973, levaram à teoria de Cromodinâmica Quântica (QCD).

Estas idéias continuam a ser investigadas nos aceleradores de partículas de centros de pesquisa em todo o mundo.

Gross é ligado ao Instituto de Física da Universidade da Califórnia - Santa Bárbara, Politzer é do Instituto de Tecnologia da Califórnia e Wilczek trabalha no Centro de Física do Instituto de Tecnologia de Massachusetts.

BBC, em Londres





URL Fonte: https://homenews.com.br/noticia/2548/visualizar/