Homenews - homenews.com.br
Informática
Quarta - 06 de Outubro de 2004 às 10:09

    Imprimir


______________________________________________________________



Os norte-americanos estão sendo alertados sobre um e-mail fraudulento que usa a campanha presidencial dos Estados Unidos para tirar dinheiro dos internautas.

A mensagem eletrônica convida a pessoa a telefonar para um número para expressar apoio ao presidente americano, George W. Bush, ou para seu rival, o democrata John Kerry.

A empresa BlackSpider, que filtra os e-mails, estima que quase 250 mil pessoas recebem tal mensagem todo dia.

Estelionatários na internet já usaram os ataques de 11 de Setembro e a tragédia na escola russa de Beslan para conseguir dinheiro.

Número 900

À primeira vista, a mensagem sobre a eleição presidencial parece legítima e afirma que foi enviada do endereço Lycos.com.

Mas a BlackSpider disse ter traçado alguns dos e-mails para um servidor na República Checa.

"Caro cidadão, a extremamente triunfante multidão em Bagdá pareceu justificar a crença do presidente George Bush de que a ação militar no Iraque foi a decisão certa", diz o e-mail.

"Mas ainda há muitas questões quanto às evidências de armas de destruição em massa de Saddam", acrescenta o texto.

A mensagem segue pedindo aos leitores que, se eles apóiam Bush, que liguem para um número que começa com 900. O texto diz que os votos serão enviados para as campanhas de Bush e Kerry.

Na tentativa de convencer o internauta de que a mensagem é genuína, o e-mail aponta quem teria encomendado o levantamento. A ligação, diz o e-mail, custará US$ 1,99, "um preço baixo a pagar por uma democracia melhor".

Legalidade

"Essa é uma fraude relativamente nova", disse o CEO da BlackSpider, John Cheney. "A questão é: eles estão fora da lei? Na Grã-Bretanha, sim. Nos Estados Unidos, não."

Mandar mensagens não solicitadas para e-mails pessoais é ilegal na Grã-Bretanha.

Mas, nos Estados Unidos, as pessoas têm que fazer uma opção sobre o recebimento desses tipos de mensagens.

"Sem dúvida, vamos ver mensagens como essa nas próximas eleições na Grã-Bretanha", prevê Cheney.

BBC, em Londres




URL Fonte: https://homenews.com.br/noticia/2555/visualizar/