Homenews - homenews.com.br
Saúde
Quarta - 25 de Maio de 2005 às 10:42

    Imprimir



________________________________________________________________


As folhas de alecrim-do-campo apresentam forte potencial terapêutico na prevenção da cárie dental. A conclusão é de uma pesquisa de doutorado apresentada na Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP), em Ribeirão Preto.

O extrato da planta é uma das matérias-primas da própolis verde, capaz de inibir a proliferação de Streptococcus mutans, o principal agente causador da cárie dental em humanos. Nos últimos anos, vários estudos atestaram que esse tipo de própolis pode ser útil para a prevenção das cáries.

Durante os experimentos in vitro, a comparação dos extratos de própolis verde com os de alecrim-do-campo em diferentes parâmetros bioquímicos da bactéria teve resultados bastante interessantes. “As duas substâncias apresentaram um perfil semelhante no que diz respeito à inibição da S.mutans”, disse a autora da pesquisa, Denise da Silva Leitão. O estudo foi orientado pelo professor Augusto César Spadaro.

Apesar das semelhanças dos efeitos, Denise defende a idéia de que o alecrim-do-campo poderá ser útil para gerar produtos que evitem a ação das bactérias sobre os dentes humanos. Para a pesquisadora, essa matéria-prima de origem vegetal sozinha oferece uma facilidade maior para a padronização de eventuais cremes ou remédios contra a cárie.

A bactéria S.mutans produz ácidos que corroem o esmalte dental, além de eliminar enzimas que produzem polissacarídeos auxiliadores da formação da placa dental. “Analisado de maneira isolada, o extrato do alecrim-do-campo foi capaz de eliminar os ácidos e enzimas produzidos pela bactéria, mostrando-se uma planta medicinal eficiente no combate à cárie dental”, afirma Denise.

A pesquisadora direcionará seu estudo agora para as pesquisas com animais e seres humanos para comprovar o efeito da planta na prática. “Hoje temos fortes indicativos do efeito anticariogênico do alecrim. Com os resultados dos testes em humanos, a idéia é propor a criação de produtos à base da planta que consigam inibir a formação das cáries”, disse.



Agência FAPESP




URL Fonte: https://homenews.com.br/noticia/3032/visualizar/