Homenews - homenews.com.br
Saúde
Segunda - 30 de Maio de 2005 às 12:28

    Imprimir


________________________________________________________________


Cientistas da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, disseram ter encontrado indícios de que produtos químicos usados regularmente em produtos como cosméticos, brinquedos e sacos plásticos podem prejudicar o desenvolvimento de fetos do sexo masculino.

O estudo, publicado na revista Environmental Health Perspectives, do Centro Nacional de Saúde Ambiental dos Estados Unidos, foi realizado em centros de pesquisa em todo o país.

Os cientistas mediram os níveis de nove tipos de ftalatos (químico usado na fabricação de plásticos) na urina de mulheres grávidas, comparando esses níveis (de forma proporcional) aos encontrados em seus bebês.

Os exames mostraram que mulheres com níveis mais elevados de quatro ftalatos na urina tornaram-se mais suscetíveis a darem à luz meninos com problemas variados como pênis menores, disfunções testiculares e distância menor entre os genitais e o ânus. A pesquisa analisou 134 meninos.

Sangue

"Uma forma de os ftalatos caírem na corrente sangüínea da mãe poderia ser por meio do consumo de alimentos de dentro de um saco plástico durante a gravidez", diz Shanna Swan, um dos autores da pesquisa.

Os pesquisadores, no entanto, frisaram que ainda não sabem como os ftalatos agem exatamente, nem quais tipos da substância especificamente estariam associados ao problema.

"Ainda levaremos tempo para solucionar a questão", disse a cientista.

Segundo Richard Sharpe, da Associação de Pesquisa Médica da Grã-Bretanha, a pesquisa é importante porque mostra que certos produtos químicos podem ser capazes de alterar a produção do hormônio masculino testosterona.

"A testosterona é fundamental no desenvolvimento e um dos fatores que tornam homens e mulheres tão diferentes. A atuação do hormônio no organismo ocorre desde a formação dos órgãos genitais até a formação do cérebro", afirma o cientista.

Desde 1999, a União Européia (UE) proíbe a inclusão de ftalatos na fabricação de brinquedos infantis.

Até a publicação deste novo estudo, acreditava-se que, uma vez colocando os brinquedos na boca, a criança ficava exposta à substância em doses além do índice recomendável.

O novo estudo fez com que algumas pessoas pedissem mais restrições à inclusão de ftalatos em produtos, alegando que a legislação no tocante a isso ainda é bastante falha em todo o mundo.



BBC, em Londres




URL Fonte: https://homenews.com.br/noticia/3041/visualizar/