Homenews - homenews.com.br
Ciência
Quarta - 16 de Novembro de 2005 às 16:46

    Imprimir


________________________________________________________________



Células de cartilagem foram criadas a partir de células-tronco embriônicas, aumentando a perspectiva de encontrar novas formas de tratar ferimentos, de acordo com cientistas britânicos.

Os pesquisadores do Imperial College, de Londres, converteram as células-tronco lado a lado com células cartilaginosas.

As cartilagens são tecidos densos de conexão que permitem que as juntas realizem movimentos com suavidade.

A pesquisa, detalhada na revista científica Tissue Engineering, poderia ajudar a tratar lesões sofridas em atividades esportivas, operações nos quadris e cirurgias plásticas.

Os cientistas já conseguem tratar danos em cartilagens por meio do desenvolvimento de tecidos a partir de células saudáveis do mesmo tecido retiradas dos próprios pacientes.

Mas esta técnica preocupa alguns especialistas porque há uma quantidade limitada de cartilagens que podem servir de fonte para as células a serem desenvolvidas e danos podem ser causados às partes do corpo de onde elas são retiradas.

Sucesso em ratos

Os cientistas do Imperial College dizem que a nova técnica, porém, pode implicar que células-troncos sejam retiradas do paciente e desenvolvidas em laboratório.

Só então elas seriam transplantadas após a cirurgia.

A pesquisa envolveu o desenvolvimento de céulas-tronco embriônicas humanas ao lado de células cartilaginosas, também chamadas de condrócitos.

Isto foi feito em laboratório, usando um sistema especial que as encoraja as células-tronco a se transformarem em células cartilaginosas.

Quando os resultados foram comparados com o puro e simples desenvolvimento de células-tronco embriônicas humanas, a mistura com os condrócitos apresentou níveis mais elevados de colágeno, a proteína que constitui as cartilagens.

As células modificadas foram então testadas em ratos, com sucesso.

Mas os autores do estudo dizem que devem ser necessários ao menos cinco anos para que a técnica possa ser usada no tratamento de seres humanos.




BBC, em Londres




URL Fonte: https://homenews.com.br/noticia/3252/visualizar/