Homenews - homenews.com.br
Saúde
Sexta - 05 de Maio de 2006 às 10:57

    Imprimir


________________________________________________________________


As pessoas que foram contaminadas pelo vírus H5N1 seriam especialmente suscetíveis aos diferentes tipos de vírus da gripe aviária devido a fatores genéticos, sugeriram especialistas na quinta-feira.

Das 205 pessoas contaminadas pelo H5N1 desde 2003, há várias que possuem algum tipo de parentesco de sangue, tais como pai e filhos, mães e filhas. Do total de contaminações, 113 foram fatais.

"Há grupos familiares. Então, deve haver algum tipo de fator genético envolvido", afirmou Robert Webster, do Hospital de Pesquisa Pediátrica St Jude durante uma conferência realizada em Cingapura e organizada pela revista médica Lancet.

Um outro especialista importante, Hiroshi Kida, que passou mais de três décadas pesquisando os vírus, defende há muito tempo a mesma teoria.

"Não houve nenhum caso de contaminação envolvendo marido e mulher", disse Kida à Reuters em uma entrevista. O pesquisador trabalha no departamento de controle de doenças da Universidade Hokkaido (Japão).

Kida explicou que as pessoas contaminadas com o H5N1 possuem um receptor de carboidrato nas células presentes em sua garganta. O receptor - chamado de alfa 2,3 - é encontrado em aves e os vírus da gripe aviária gostam de se unir a esse tipo de receptor para se reproduzir.

Os vírus da gripe humana, porém, preferem se unir a um outro tipo de receptor, o alfa 2,6, que predomina entre os seres humanos.

"Acho que as pessoas contaminadas pelos vírus da gripe aviária são especiais. Elas precisam ter o receptor alfa 2,3", afirmou Kida.

Apesar de os seres humanos apresentarem alguma quantidade do alfa 2,3, os alfa 2,6, segundo o pesquisador, são muito mais abundantes na maior parte das pessoas.

Perigoso

Kida tenta agora analisar os que sobreviveram ao H5N1 no Vietnã e na Tailândia a fim de confirmar sua teoria. Se ela for verdadeira, isso significaria que a maior parte das pessoas não será contaminada pelo H5N1 facilmente, ao menos enquanto o vírus não sofrer certas mutações.

"Se ele mudar sua especificidade de receptor, então ele seria perigoso", afirmou Kida.

Muitos especialistas acreditam que o H5N1 pode provocar uma pandemia mundial de gripe que já deveria ter ocorrido. Mas essa hipótese só se materializará caso o vírus sofra as mutações necessárias para conseguir passar de uma pessoa a outra rapidamente - algo que ainda não ocorreu.

A maior parte das vítimas contraiu o vírus no contato direto com aves doentes. E não há nenhum caso comprovado de transmissão do H5N1 de uma pessoa para outra.

Apesar de pouco ser conhecido sobre o vírus, há muitos trabalhos sendo desenvolvidos para saber como ele é transmitido e até para saber por que um número tão pequeno de pessoas foi contaminado até agora.

Um grupo de pesquisadores sugeriu recentemente que o vírus ainda não se mostrou tão contagioso quanto se temia porque ele ficaria abrigado no fundo dos pulmões, e não no trato respiratório superior, de onde poderia sair mais facilmente e disseminar-se.

Mas, apesar de Kida não descartar essa teoria, ele diz que não se trata da única.




Reuters




URL Fonte: https://homenews.com.br/noticia/3757/visualizar/