Homenews - homenews.com.br
Ciência
Quinta - 07 de Novembro de 2002 às 09:25

    Imprimir


HALIFAX, Canadá (Reuters) – Foram necessários 90 anos, a mais moderna tecnologia de DNA e um documentário para conseguir a façanha. Mas finalmente foi identificada a 'criança desconhecida' que viajava a bordo do navio transatlântico Titanic, que naufragou em 15 de abril 1912.

A tripulação do navio de resgate canadense Mackay-Bennet descobriu o corpo do menino dias após o naufrágio, que culminou na morte de 1.517 pessoas. Mas não havia nenhuma identificação e os integrantes da equipe decidiram levar o corpo para a cidade de Halifax, onde foi enterrado no cemitério de Fairview Lawn, juntou com outras 120 vítimas da tragédia.

Em seu túmulo é possível ler 'criança desconhecida' e por anos a sepultura atraiu milhares de turistas e visitantes.
Agora os especialistas determinaram que o corpo era de Eino Viljami Panula, um bebê de apenas 13 meses. Ele era um dos cinco irmãos finlandeses que morreram no desastre acompanhados pela mãe.

- A criança desconhecida agora é conhecida, identificada e será devolvida a sua família - afirmou Ryan Parr da Universidade Lakehead do Canadá, que coordenou o trabalho de 50 cientistas e pesquisadores do Titanic.

Os parentes da criança, Magda Schleifer de Helsinki, sua filha Nina e seu genro Jyrki Uutrla, e sua filha de um ano de idade chegaram a Halifax essa semana para levar suas homenagens ao túmulo. Magda, que tem 68 anos, disse saber que a irmã de sua avó e seus cinco filhos haviam morrido no naufrágio do Titanic.

Mas a perda sofrida pela família se tornou mais real quando testes sangüíneos confirmaram que a criança desconhecida era Eino, contou ela.

- Está se tornando cada vez mais uma história familiar e, agora, é bem mais real - disse ela, através de seu genro.

A mãe de Eino, Maria Emília Ojala, e seus cinco filhos viajavam para os Estados Unidos para encontrar seu marido, John Panula. Ele trabalhava na Pensilvânia quando o Titanic se chocou a um iceberg e naufragou. A família na Finlândia não sabia que os corpos haviam sido encontrados.

No início deste mês, produtores da série de televisão 'Segredos dos Mortos' contataram Magda Schleifer e perguntaram se ela poderia doar uma pequena amostra de sangue para a realização de um teste de DNA. Era a primeira vez que ela ouvia falar da criança desconhecida e ela disse que queria ajudar, especialmente porque a criança tinha mais ou menos a mesma idade de sua neta.

Uurtla disse que a visita ao cemitério com os produtores do documentário foi bastante emocionante para sua avó.

- Claro, você está lá no cemitério, onde tantos corpos estão enterrados e muitas pessoas levam brinquedos para as poucas crianças que estão enterradas lá - disse ele. - Você vê os bonecos, os túmulos, é algo concreto, não apenas uma história. E lembrar de como a equipe do Mackay-Bennet tomou conta da criança, quem não ficaria emocionado? Ela é uma mulher muito sensível, foi algo que a tocou.

A família decidiu que os restos mortais da criança vão permanecer em Halifax.

- Cuidaram da criança, a memória permaneceu viva, então por que mudar? - questionou Magda.

O documentário, denominado 'Fantasmas do Titanic', será exibido nos Estados Unidos pelo sistema de televisão PBS como parte da série 'Segredo dos Mortos'. A série é produzida pelo Canal 4 da BBC e pelo Canal Internacional National Geographic.




URL Fonte: https://homenews.com.br/noticia/379/visualizar/