Homenews - homenews.com.br
Informática
Quinta - 05 de Dezembro de 2002 às 10:12

    Imprimir


SEATTLE (Reuters) - A RealNetworks e a principal operadora de canais de filme de cabo nos Estados Unidos, a Starz Encore Group, anunciaram na quarta-feira planos para um serviço de filmes a pedido via internet, no ano que vem.

Sob o novo serviço, os usuários poderão fazer o download de filmes na internet e assisti-los em seus computadores pessoais ou em televisores ligados a esses computadores.

Embora a possibilidade de vender filmes via internet venha atraindo os estúdios de cinema já há alguns anos, eles também relutavam em perder seu controle sobre seu acervo de títulos desde que surgiram inúmeros serviços de cópia e troca de arquivos ao estilo do Napster - especialmente com a proliferação de conexões domésticas de alta velocidade - considerando que isso representa uma séria ameaça à indústria do cinema e televisão, que fatura 70 bilhões de dólares ao ano.

O novo serviço online de filmes por assinatura, Starz On Demand, terá um sistema robusto de proteção de direitos autorais e também permitirá que os usuários desfrutem de reprodução de vídeo de alta qualidade, de acordo com Rob Glaser, o presidente-executivo da RealNetworks.

"Eu classificaria como uma progressão natural, vídeos na internet'', disse Glaser à Reuters, acrescentando que a tecnologia de administração digital dos direitos autorais seria parte do novo serviço de filmes.

A Starz Encore, subsidiária da Liberty Media, diz que mais de 100 filmes serão oferecidos aos assinantes a cada mês por ''uma taxa baixa'', mas não ofereceu detalhes de preço mais específicos.

No mês passado, cinco estúdios de Hollywood abriram as cortinas do Movielink, um serviço de filmes online que também venderá filmes via download na web.

O Movielink permite que os usuários baixem filmes por um valor entre dois e cinco dólares. Os filmes podem ficar armazenados nos discos rígidos de um computador por até 30 dias, sem serem assistidos, mas só estão disponíveis por 24 horas depois que se começa a assisti-los. Depois disso, são apagados automaticamente.

Sem proteções como essas, que não estavam incorporadas aos arquivos digitais de música, a indústria cinematográfica poderia ter um destino semelhante ao da indústria fonográfica, disse John Sie, fundador, presidente do conselho e executivo da Starz Encore.

Por Reed Stevenson





URL Fonte: https://homenews.com.br/noticia/522/visualizar/